terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

POSSIBILIDADES DE TEXTO NA INTERNET

Ao longo dos anos, professores e alunos estiveram “presos” ao livro didático, como uma das poucas formas acessíveis como material a ser utilizado em sala de aula; claro que, não esquecendo do velho quadro negro. Nos últimos anos, principalmente, a última década ocorreram mudanças nessa estrutura, principalmente no que se refere ao avanço da informática: primeiro o computador e depois a Internet.
            As possibilidades de uso da mídia impressa na educação são incontáveis. Os recursos tecnológicos nos possibilitam formatar jornais escolares, revistas, panfletos. Os meios eletrônicos através da internet por sua vez, nos possibilitam a publicação de textos escritos em blogs e em redes sociais, como também realizar pesquisas para a produção de texto.
            Aliás, a produção de texto é fundamental na evolução da aprendizagem dos alunos, assim como a leitura. Uma coisa está intimamente ligada à outra. Quem tem o hábito da leitura, irá escrever bem melhor do que aquele não tem esse costume. É de suma importância para a formação do aluno e para a transmissão do professor que seus educandos tenham um bom entendimento daquilo que estão lendo e saibam se expressar através da escrita, que continua sendo a forma mais importante de avaliação. Pois é através da escrita do aluno que ele se comunica com seus professores; principalmente, no que se refere à transmissão de sua aprendizagem. Apenas os meios estão se transformando, mas a essência ainda é o talento humano.
            É evidente  que para usar esses novos meios,  as escolas tenham que ter esses recursos: computadores e internet.  A partir daí um mundo de possibilidades se abre. Muitas coisas pode se aprender ao produzir um texto usando um computador ligado a internet. Primeiramente, fazendo com que os estudantes pesquisem um assunto previamente escolhido pelo professor, assim como, a explicação dos objetivos que se quer com a realização da atividade. Os alunos ao mesmo tempo em que pesquisam sobre uma temática, história, por exemplo, não estão adquirindo conhecimento só referente à disciplina em questão. Estão aprendendo a navegar pela internet, usar os recursos para formatar suas produções.
            Dependendo dos objetivos do professor ele pode cobrar a elaboração de um texto conclusivo, a confecção de um panfleto até a elaboração de um jornal, onde toda a turma participa coletivamente para a edição do mesmo. Além disso, existe a possibilidade de publicação dos trabalhos na rede social, através de blogs, sites e outros meios afins. Isso é importante na valorização do trabalho escolar que assim ultrapassa os “muros” da escola, valorizando dessa forma o trabalho dos estudantes que são vistos e discutidos por uma gama muito maior de pessoas e não só analisado pelo professor que lhe dá uma nota. Dessa forma, o trabalho realizado não tem mais um único objetivo aprendizagem-avaliação, a internet possibilita a troca de informações e conhecimento de forma muito ampla.
            É bom observar, porém, que ao trabalhar com crianças e adolescentes e, muitas vezes até adultos, o professor terá o cuidado de advertir seus alunos para a apropriação de texto alheio sem dar as devidas referências e que a produção de texto não é encontrar o assunto que se pesquisa “copiar, colar, imprimir ou postar” e pronto. Além de ser ilegal, também é imoral e não contribui em nada para a educação. Por isso, o professor deve sempre exigir uma conclusão, onde ele poderá perceber se o texto escrito é realmente uma produção de estudante ou não.
            Outro problema para a utilização da internet para a produção de textos é a questão da maioria dos professores ainda não saberem usar esses recursos e, muitos deles acabam não se preocupando com questões importantes. Para passar uma imagem de moderno que utilizam os novos recursos, os utilizam sem um devido planejamento e sem objetivo algum. Contribuindo dessa forma para o uso incorreto de uma poderosa ferramenta para a educação.
Fabrício Colombo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário