sexta-feira, 15 de julho de 2016

FIZ DE VOCÊ

Fiz de você
uma paixão abstrata
um sonho impossível
Fiz de você
uma realidade imaginária
uma verdade solitária
Fiz de você
uma flor, uma poesia
fiz a minha alegria
Fiz de você
uma grande loucura,
agora, procuro a cura.
Fabrício Colombo

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Só o silêncio sabe
da minha vontade de gritar
Só a solidão conhece
a dor por tê-la
Só a escuridão percebe
o medo que tenho
Só a solidão sabe
o sonho que não vem
Só a escuridão conhece
o olhar que chora
Só o silêncio percebe
a vontade de dizer teu nome.

Fabrício Colombo

quarta-feira, 13 de julho de 2016

SOBRE A VERDADE


ÚLTIMO SOLDADO

Eu sei que sozinho nasci e só morrerei, como acontece com qualquer um. Mas ultimamente parece que ando só, parece que ando na contramão. Não, não, não estou rebelde, muito menos um rebelde sem causa. Pelo contrário, quero paz, harmonia, respeito, ética. Mas parece que o mundo não quer essas coisas, ou melhor, muitas pessoas não querem. Parece que fazer as coisas corretas é errado. Parece que querer um mundo melhor é bobagem. É cada um por si e Deus por todos. O problema é saber quem é esse todo. Muitos dizem praticar coisas que não fazem, e fazem coisas que não dizem. O mais difícill em um ser humano é ser coerente com aquilo que pronuncia, pois na maioria das vezes, na verdade nua e crua fazemos o que nos interessa e não o que realmente tem que ser feito. 

As pessoas manipulam o que tu diz e o pior, propagam ao vento palavras que jamais saíram da tua boca. Sorriem na tua frente e tramam nas tuas costas. Distorcem informações, criam verdades "alucinógenas" que enganam os tolos. O cansaço chega e o fardo pesa sobre os ombros daqueles que tentam trabalhar para melhorar uma coletividade. Coletividade esta que talvez não exista ou é tão pequena que não consegue se fazer ouvir na gritaria do individualismo, do eu. E assim, o nós, cada vez ais perdido. O nós parece aquele último soldado que sobrou no campo de batalha, isolado diante de um batalhão inimigo enfurecido, cego, rancoroso. Mas este soldado foi forjado a acreditar que assim como ele existem outros, que vão resistir até o último fio de luz que seus olhos possam ver.

                                                                                                                    
Fabrício Colombo.
                                                                                                                      

SOBRE O SILÊNCIO


terça-feira, 12 de julho de 2016

NÃO É DE VOCÊ

Ah! Essa saudade que me consome
que acompanha cada passo meu
e faz doer até o meu olhar
nas imagens que na mente
insistem em passar.
Lembranças que não consigo esquecer
é como a loucura
ela vem e domina,
não faz pergunta, alucina!
Destrói o presente, mata o futuro
vive no passado
que não volta mais
e que nas cores da fotografia
trás de presente um sorriso
mas é apenas mais um feitiço
ilusões de um tempo
que não volta mais.
Esse mesmo tempo
que transformou em amargura
toda a doçura
que um dia se fez ternura
em meus braços jurou
ser eterna aquela aventura
que não sobreviveu
as tempestades que vieram.
As flores do jardim
que não resistiram a seca
que se fez no deserto que se transformou
nesse gelo que congelou esse coração que um dia bateu
muito mais do que podia, acelerou tanto
que não fez a curva e se quebrou
em pedrinhas de gelo
que com o calor derreteu.
E que falta faz
aqueles dias de sol
onde na beira da praia
no imenso azul do mar
eu sabia sonhar.
Ah!...que saudade
mas não é do rosto
que as imagens não trazem mais
não é de você que eu não tenho mais
é saudade do amor
que um dia me fez feliz demais!
Fabrício Colombo

segunda-feira, 11 de julho de 2016

BONS ALUNOS, ELES EXISTEM!

Normalmente quando escrevemos um artigo, fazemos críticas, apontando aquilo que em nossa opinião não achamos correto. Na grande parte das vezes, escrevemos sobre as coisas que não dão certo e precisa melhorar. Desabafamos, procuramos apontar soluções e que as pessoas procurem ter uma postura mais ética. Mas hoje não vou fazer críticas, nem escrever sobre o que está errado. Hoje vou escrever sobre os bons.
Os bons alunos que tenho, pois em um mar de mediocridade, muitas vezes esquecidos entre os extremos de uma sala de aula, eles existem! E eu, como professor tenho o privilégio de ter bons alunos, como digo, bons estudantes, por consequência, pessoas boas. Pessoas educadas, que sabem se relacionar sem agressividade, estudantes comprometidos com o gosto do conhecimento, que fazem aquilo que tem que ser feito e, quando necessário sabem argumentar ao invés de reclamar das dificuldades. Sabem demonstrar interesse, são esforçados, se dedicam a alcançar os objetivos traçados, pois têm objetivos e quem tem objetivo, sabe o que quer.
Ah! Meus bons alunos, gosto muito de vocês. Em vocês me sinto valorizado, percebo que vale a pena o tempo que me consome. Percebo que esse tempo não é perdido. Percebo em seus trabalhos, opiniões e argumentos que vão se tornando cada vez mais seguros. Sabemos também, que erramos e que errar faz parte do aprender e ter consciência disso é uma prova de inteligência.
Por isso, meus bons alunos, hoje resolvi escrever sobre vocês, para lembra-los que sei que existem. Que tenho profunda admiração e respeito, pois é por vocês que continuo, senão, já tinha desistido. Mas ainda bem que descobri que bons alunos existem!
Fabrício Colombo.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

UMA VEZ

Uma vez
teus cabelos soltos no vento
teu sorriso acanhado
palavras trocadas
Uma vez
um sonho, uma poesia
lábios que 
se encontraram
corpos que se uniram
Uma vez o amor
Uma vez, solidão!
Fabrício Colombo

quarta-feira, 6 de julho de 2016

MEU BEM QUERER (Dedicado a Viviane)

Meu bem querer
tem um sorriso que me fascina
um olhar que me alucina
e um jeito que me domina.
Meu bem querer
tem um V de vida
e uma vida no olhar
que vive a me encantar.
Meu bem querer
tem um sorriso
que me faz viver
um olhar que me faz querer.
Meu bem querer
tem um V de Viviane,
Viviane do meu viver!
Fabrício Colombo

terça-feira, 5 de julho de 2016

DESPEDIDA

Guarde na lembrança esse meu olhar
que aqui já quase triste
na lágrima seca que não cai, mas insiste.
Lembre que ele já brilhou como a luz do luar
enfeitiçou, encantou, navegou
e se perdeu na imensidão do oceano
ficou preso na tempestade e naufragou.
Na escuridão do mar, não foi engano
e no fundo do olhar transbordou
as águas do oceano, que não mais o deixou.
Mas eu te peço, guarde nesses lábios
que tanto amei em beijar
o último beijo que vou te dar.

Fabrício Colombo

segunda-feira, 4 de julho de 2016

O PAÍS DO FUTURO OU DA PICARETAGEM?


                Passei minha infância e cresci ouvindo que o Brasil era o país do futuro. Hoje, depois de vários anos de estudo, de quatro décadas de experiência de vida enfim, entendi porque este futuro nunca chega. O futuro é uma ideia e, no caso do nosso país, uma ideia utópica.
                Como o futuro chegara a um país afundado na lama por incompetência, negligência e o pior de tudo, picaretagem para tudo que é lado. Seria hipocrisia falar somente dos políticos que tem a fama maior e, não por acaso. Mas não é só no Congresso Nacional, Câmara de Deputados e de Vereadores e nos poderes Executivos que existem corrupção e pessoas levando vantagens, enquanto outras sofrem. Todo dia tem notícia sobre algum rolo em nosso país e, o pior de tudo, em todos os setores da nossa sociedade. Médicos com contrato de trabalho de seis horas diárias nos postos públicos e trabalham uma hora e só os gestores não sabem disso, vão abrir sindicância para averiguar. Por que isso ocorre, conivência, negligência, incompetência e falta de fiscalização, se é que existe interesse do poder público em fiscalizar. E enquanto o óbvio é apurado, a população sofre horas na fila para ser atendida, meses para realizar um exame, que em muitos casos chega tarde demais.  
                Outro caso interessante de picaretagem, advogados instruindo seus clientes de como fraudar a Previdência Social para conseguir benefícios sem realmente ter o problema para receber o beneficio. Quer dizer que a pessoa estuda anos em uma faculdade de bacharelado, se intitula doutor, para ensinar as pessoas a tirar vantagem, ou seja, corrupção, picaretagem. No “meu tempo”, picareta era vendedor de carro usado que não tinha boa procedência, agora são doutores (médicos e advogados).
                Tem também a corrupção no esporte. Por isso que muitas pessoas foram contra as Olímpiadas no Brasil. Vários clubes e federações receberam dinheiro público para investir nos atletas, na sua formação e na compra de equipamentos. Adivinha se isso foi feito. O dinheiro foi distribuído, mas a grande parte dos atletas olímpicos e paraolímpicos relata que não houve melhoria nenhuma. Como um país que não valoriza a educação vai ser um campeão olímpico.
                E por último, talvez o maior dos absurdos. O serviço da Samu, que tem como prioridade salvar vidas, foi envolvido em um escândalo, onde enfermeiros e médicos pioram o estado do paciente para que ele piore e dê entrada na UTI, pois assim, os hospitais particulares lucram mais. Isso acontece é claro para quem tem plano de saúde, pois para pacientes do SUS, que não tem condições de pagar um plano pode ser levado para qualquer lugar. Mas vejamos o absurdo, os caras brincam com a vida de pessoas acidentadas, que tiveram um mal súbito e ligam para o serviço pedindo ajuda, esperando serem salvas, para ganharem R$200,00 R$300,00 de propina. O que dizer de um “ser humano” assim.
                É claro que a culpa é do poder público, que como já me referi é incompetente, negligente, omisso e não fiscaliza, deixando milhões e milhões de reais, escoar literalmente pelo ralo. Mas fica evidente, que quando existe oportunidade, grande parte dos cidadãos brasileiros sejam eles cultos ou não, estudados ou não, ricos ou não praticam a picaretagem, são tão corruptos como os políticos. E o futuro; ah! O futuro nunca chega, pois esbarra na hipocrisia, na falta de caráter, na falta de bondade, na falta de ética, na falta de cidadania de um povo que enquanto não aprender que quando ele leva vantagem, milhares de pessoas foram prejudicadas, nunca será o país do futuro. Continuaremos ser o que sempre fomos...
Fabrício Colombo.

sábado, 2 de julho de 2016

sexta-feira, 1 de julho de 2016

BELEZA

Se beleza tivesse conceito,
este conceito seria você.
E neste nexo
eu consumiria o teu sexo.
Tocaria em tua pele
enradiaria de calor
profanaria teu amor.
Queria ter-te só pra mim
até p último fim.
A beleza esculpida
em tua face, em tuas formas.
Nua e crua, rara beleza
que ilumina o meu devaneio
ao te ver entrar
pelas portas
da loucura do meu olhar...

Fabrício Colombo.