terça-feira, 5 de julho de 2016

DESPEDIDA

Guarde na lembrança esse meu olhar
que aqui já quase triste
na lágrima seca que não cai, mas insiste.
Lembre que ele já brilhou como a luz do luar
enfeitiçou, encantou, navegou
e se perdeu na imensidão do oceano
ficou preso na tempestade e naufragou.
Na escuridão do mar, não foi engano
e no fundo do olhar transbordou
as águas do oceano, que não mais o deixou.
Mas eu te peço, guarde nesses lábios
que tanto amei em beijar
o último beijo que vou te dar.

Fabrício Colombo

Nenhum comentário:

Postar um comentário